terça-feira, 6 de setembro de 2011

2 meses sem ti...

...e a dor não acalmou. As fotos de família estão no mesmo sítio...no hall, na sala, no escritório...mas as que tinha impresso e que estavam em cima da minha secretária, tive que as tirar. Todos os dias te dizia bom dia, e a dada altura já não me estava a fazer bem...sentia que ainda não te tinha conseguido libertar...se é que alguma vez o vou conseguir fazer completamente. Dou comigo a falar de ti e a sentir as lágrimas a correr, não com a mesma frequência, não com a mesma intensidade, mas a dor, essa, é exactamente a mesma.
                                    
Tenho saudades tuas, dos teus mimos, da tua companhia, do amor incondicional que sempre me retribuíste...

5 comentários:

Candybabe disse...

É duro... Mas tens de seguir em frente...
Kisses

Filipa Serrão disse...

:( sei que provavelmente te estou a dar o pior conselho possível, mas e se arranjares um novo companheiro, alguém que torne a memória do teu gatinho numa coisa feliz, de um grande amigo que infelizmente se foi, mas que "mandou" outro para vos confortar os corações? Amores não se substituem, eu sei, mas talvez seja a forma de apaziguar o coração. Eles são família, só quem gosta de animais a sério sabe e sente isso. Perdê-los é como perder um familiar próximo :( pensa nisso, talvez fosse uma forma. E para o I era bom crescer com um bichinho, faz-lhes tão bem!

R* disse...

Candybabe...obrigada...é verdade...para a frente é que é caminho! Bjocas

R* disse...

Filipa, eu sei que tens razão! Uma das coisas que mais me custou foi ver o I. a procurar pelo Pépe e ele já não estava connosco. Imaginámos tantas vezes esta fase do I. a começar a gatinhas e o peludo a fugir dele...sabes o que eu digo...este gato certificou-se de marcar os nossos corações com tantas alegrias, que só o podemos recordar de uma forma feliz.
Sabes, não penso em ter outro não por pensar na questão da substituição, mas porque não sei se consigo passar por este sofrimento todo outra vez. Vamos ver...quando o I começar a pedir :)

Soneca disse...

R*
Como eu a entendo! Infelizmente...
A minha perda é mais recente que a sua e vim parar aqui ao blogue por causa deste assunto.
É consolador encontrar quem pensa e sente da mesma maneira. É que há quem não entenda que se pode amar um animal e olham-nos como se fossemos anormais!

Tudo de bom para si.